sexta-feira, 18 de março de 2011

A busca pela anti-matéria

Quem assistiu "Anjos e Demônios" deve se lembra daquela bomba de anti-matéria que foi usada na trama do filme. Isso realmente existe? Até onde é verdade? E afinal de contas, o que é essa tal de anti-matéria?

A anti-matéria é exatamente igual a matéria, só que com carga oposta. Por exemplo um elétron formado por matéria, que tem carga elétrica negativa, seu correspondente formado por anti-matéria é exatamente igual, tem a mesma massa, porém com carga positiva, e é conhecido como pósitron.
Um átomo de hidrogênio, formado por matéria, é composto de um próton e um elétron. Um átomo de anti-hidrogênio é formado por um anti-próton e um pósitron.



Caso a anti-matéria e a matéria entrem em colisão, elas explodem instantâneamente e é liberada uma carga de energia maior do que qualquer outra fonte conhecida atualmente. Para efeito de comparação, a queima de 1kg de petróleo gera uma energia de 4,2E+07J, a fusão de 1kg átomo de hidrogênio (energia nuclear) gera 2,6E+15J, já a reação de 1Kg de anti-matéria com 1kg de matéria produziria 1,8E+17J. Portanto sim, a bomba de anti-matéria é totalmente factível. Um pequeno detalhe porém impede que isto aconteça rotineiramente, o mesmo que impede que ela seja utilizada como um grande gerador de energia elétrica capaz de abastecer milhões de pessoas: onde encontrar a anti-matéria?

Quando ocorreu o Big Bang, estima-se que quantidades iguais de matéria e anti-matéria foram formados, porém o nosso mundo, como o conhecemos, é formado unicamente por matéria. E onde foi parar toda esta anti-matéria? Este é um dos maiores mistérios da física na atualidade... E é em busca desta explicação que está o LHC (Grande Colisor de Hádrons - na sigla em inglês), entre outros objetivos.

O LHC é um acelerador de partículas, que a grosso modo, simula as condições da época em que o nosso universo foi formado. Ele também é capaz de produzir anti-matéria e armazená-la por tempo suficiente e em quantidades suficientes para realizar os estudos necessários. Só que esta quantidade está na ordem de alguns picogramas (1 picograma = 1,0E-09g). Portanto, ainda uma fonte de energia de cara e difícil obtenção, ainda...

4 comentários

Dani Almeida 21 de março de 2011 09:10

Caro Marcellus, então podem existir outros lugares formados apenas de antimatéria? E como que eles poderiam ser identificados, já que a a matéria e a antimatéria são "idênticas"?

Roger 26 de março de 2011 21:29

gostei muito do blog, mas gostaria de ver mais atualizações.

Marcellus T. Carvalho 12 de abril de 2011 15:34

Olá Danielle.
Sim, há relatos de que foram identificados em lugares remotos da galáxia lugares que seriam formados unicamente por anti-matéria, mas nada que pode ser comprovado.

E elas podem ser identificadas pela carga, pois esta é oposta a carga da matéria.

Marcellus T. Carvalho 12 de abril de 2011 15:35

Olá Roger, que bom que gostou.
Vou me esforçar para manter um bom ritmo de atualizações.
Abraço!

Postar um comentário